30 de jan de 2014

Berço - Manter ou não, eis a questão!

Estou de mudança e essa dúvida vem me acompanhando pois Bambino ainda dorme no berço apesar de quase 3 anos.

Aproveito essa mudança e tiramos do berço??

Ele ainda se mexe muito e eu tenho medo que ele caia da cama.
Como não tentou saltar do berço (até mesmo porque não deixamos ele lá, usa somente para dormir) eu não tenho preocupação.

Logo logo ele não aceitará, ele já se acha grande. Experimenta chamar ele de baby?! Ele vai te corrigir!

Bom, ainda não sei. Preciso compartilhar mais essa ideia com o marido pra ver onde chegamos.

Por hoje é só pessoal :)

Quede com Dios!



28 de jan de 2014

Kd a vontade louca do segundinho???

O gato comeu, só pode!!

Sabe que através de algumas mudanças de atitudes tenho ficado mais centrada nos meus desejos. Quero parar de sofrer.

Sonhar, planejar e executar mas sem sofrer.

Depois que mudei minha rotina e inserir meus encontros diários com Deus, esse assunto que me fazia surtar não me surta mais.
Meu coração simplesmente descansou.

Ainda desejo muito mais um filho, até mesmo dois. No entanto entendo que tudo bem se não for hoje, amanhã ou daqui a 1 ano. Continuarei minha caminhada com minha família e com Deus independente disso.

É isso aí.

Hugs.

27 de jan de 2014

As crianças da minha rua

Eu moro em uma cidade do interior, mas não é uma cidade pequena. Na verdade é o terceiro município mais populoso do estado de SP, mesmo assim as criança tem o habito de brincar na rua.

Não são muitas crianças morando na minha rua, mas elas tem o dom de se unir. E as vezes acho que o bairro inteiro se reuniu aqui, digamos que para brincar. Isso não seria um problema se essas crianças tivessem regras e horários.

É só ficar um pouco na garagem de casa pra escutar muitos absurdos. São palavrões, xingamentos e gritaria sem fim. As vezes já passado das 23hs e lá estão elas algumas vezes sem calçados, outras no inverno e estão ainda de bermuda.

Pra mim essas crianças são vítimas de violência. Nas palavras de Laura Gutman, a violência do desamparo.

Pra mim (again) fica nítido que as mães, cansadas ou até mesmo sobrecarregadas, querem só um pouco de "paz" e para obter deixam seus filhos ao leu.

Sim, nós mães temos que descansar. Mais que um benefício pra nós e de nossos filhos é uma questão de saúde.
Também não estou criticando aqui o ato de brinca na rua, pois trabalho de criança é brincar e sempre! Mas compartilho da ideia do cuidar, com supervisão. Apenas estar ao lado já fará toda a diferença.

E afinal onde está o desamparo nessa história? As atitudes das crianças me demostram isso.
Elas pedem por atenção quando gritam, xingam e se mal dizem.
Isso é lá atitude de criança?

Não, definitivamente não!

Deixemos nossas crianças brincar, no entanto brinquemos juntos!

24 de jan de 2014

Coisas que gostaria

Eu sou uma pessoa de vários "quereres" (não sei se a palavra existe no plural hehehe) e me frusto um pouco no quesito realizar.

Isso se deve muito mais pela falta de tempo hábil para fazer tudo o que quero. Normalmente o que eu preciso fazer fica na frete e o restante vai ficando, ficando....

Quando bem jovem, uma garota ainda, eu fazia aula de canto e flauta transversal. Precisei parar (início do trabalho bem cedinho, lembram?)

Hoje orgulhosamente voltei ao canto, com o grupo da igreja, e estou tão, mas tão feliz por isso!! Já no caso da flauta, sem chance. Ficará mesmo no passado, ou voltará somente em um futuro bem futuro mesmo.

Na minha lista de querer, ainda constam:


  • Curso de fotografia
  • Curso de confeitaria - hoje eu me arrisco nos doces, mas gostaria de me profissionalizar no negócio.
  • Scrapbook que acho lindo e amaria fazer.
  • Correr na São Silvestre, mas pra isso precisaria treinar antes - Eu prometi em dezembro de 2012 que correria em 2013. Eu estava lá em 2013, mas só passei à caminho do escritório (hehehe)
  • Ler pelo menos 12 livros novos no ano (não vale nessa contagem aquelas re-leituras).
  • Dormir mais
  • Ter uma carga horária de trabalho melhor
  • Voltar para academia
  • Ir para as reuniões de terça-feira na igreja
  • Ser mais organizada
  • Fazer pilates
  • Orar mais
  • ....

A lista vai ser longa então vou parar por aqui.

Não vou colocar metas pra minha vida, o que vou fazer é tentar um ponto de cada vez.
Devagar chegamos lá, sempre.

Hugs!



20 de jan de 2014

***SeTe AnOs &&&

Hoje completamos 7 anos de casados.

São sete anos que amo, que cuido, que brigo, que oro, que dou várias risadas e que respeito.

Um casamento que aconteceu tão rápido e nunca me questionei se estava fazendo a coisa certa. Sempre tive certeza da escolha que fiz.

Eu escolhi te amar.

Amo-te meu amigo, companheiro, meu amor.

O que poderia dizer??

Só peço para Deus que nos dê mais 70 X 7 anos!

Nós, em Paris - Junho 2012

16 de jan de 2014

Duro não ter vida própria

É uma frase bastante dita aqui em casa. A verdade é que depois que os filhos nascem a vida vira de cabeça pra baixo, e isso não é novidade pra ninguém.

Já não é fácil ter um RN em casa, quando de primeira viagem então, socorro...

Eu não tive grande dificuldade com Gianlucca RN e desde nascido fui eu que dei banho, cortei unha, limpei orelha e nariz e sem receio. Eu me surpreendi comigo mesma.

Minha única paranoia era controlar no relógio o tempo que ele mamava, e sofria quando eram somente 5 minutos. Hoje me recordo e tenho muito claro que a informação é libertadora, que eu não precisava ter sofrido tanto nesse início.

Até porque ele mamava a cada 1 hora e não chegamos ver a balança nos 4 kgs. Depois eu relaxei e respeitei o tempo dele.

Mas a rotina virou de cabeça pra baixo.

Hoje um pouco mais adaptada, com ele maior, mas ainda não somos donos do nosso tempo como era anteriormente. E na verdade não voltaremos a ser por muitos anos.

Mas eu tanto, tanto orei e pedi pra Deus por esse pequeno que não me importo nenhum um pouco de estar com vida de cabeça pra baixo, mesmo que algumas vezes canse, afinal não somos de ferro.

Voltando pra rotina...

Sabe aquela vontade de não mexer com fogão e sair pra comer fora? Esquece!
Dificilmente saímos de casa sem que ele coma, pois pode ser que ele não goste das opções que teremos no restaurante e eu prefiro não arriscar e deixar ele sem jantar.

Dormir até tarde, nem em sonho. O sono vem melhorando e muito, mas rende um post em separado sobre isso. Quem sabe me animo e deixo isso registrado.

Viagens longas, não dá. Máximo de 2 horas e ainda saindo próximo ao horário da soneca pra emendar no soninho e o stress não tomar conta, pois ele é de resmungar e muito, lembram?!

Momentos de curtir o maridão é mais difícil. Desde que bambino nasceu, não fomos mais ao cinema, por exemplo.

Assim, quero em 2014 ter pelo menos um encontro só com marido a cada de 2 meses. Pouco? Não acho.
Devagar e sempre.

Quem sabe não começamos com um cineminha ;)

Quede con Dios!

14 de jan de 2014

A louca do paninho

Eu não sou uma pessoa organizada.

Engraçado que no trabalho eu dou conta do recado (ok, algumas vezes eu piro e piro bastante).

Não abro mão do meu papel de boa mãe, esposa (leia-se aqui: respeitar, amar e ter paciência com meu marido) e Maira, pois eu preciso ser eu mesma.

O que eu não dou conta é de ser dona de casa. Esse não é o meu melhor papel.

Eu sempre trabalhei fora. Sempre mesmo. Desde 14 anos eu me aventuro na busca pelo meu próprio dinheirinho. Estudava e trabalhava e foi possível conciliar as coisas. Ok, fiquei sem fazer algumas coisas, mas não morri, nem fiquei traumatizada e sou bem resolvida com isso.

Fui morar sozinha (dividir um apê) aos 19 anos. Agora imagina queridos, eu trabalhando em loja (ficava de pé o dia inteiro do meu Deus), a noite na faculdade e quando eu chegava em casa ia lavar louça, fazer comida e tal? Off course not! Eu ia era tomar banho e dormir.

Assim, acho que isso ficou incutido no meu DNA e hoje eu sofro.

Minha casa é limpinha, até por questões de saúde minha gente, mas não é organizada da maneira que eu gostaria. Não sou a louca com um paninho na mão lustrando tudo. Mas as vezes eu queria ser.

Não posso deixar de dizer o quão importante é meu marido nesse processo, pois ele contribui mesmo. As refeições por exemplo, na maioria dos dias da semana é por conta dele.

Sabe aquelas super mulheres que deixam tudo em ordem em poucos horas e o negócio rende (oi mãe!)?? Não sou eu. Aqui eu levo o final de semana e ainda não fica da maneira que gostaria.

Até porque agora eu tenho um atrapalhante (que adora fazer junto), mas isso não é culpa do bambino. Antes mesmo dele ser um sonho o negócio já não rendia.

Pois bem, vamos caminhando. Os dias mais críticos eu durmo menos pra fazer alguma coisa a mais, ou simplesmente não faço. E marido entende, mesmo que de vez em quando ele reclame só um pouquinho (kkkk).

Um dia eu consigo. Ahhh se consigo.

hugs!

12 de jan de 2014

Com vocês: Bambino

Ele é inteligente, amável, carinhoso, um pouco teimoso, calorento (sente muito calor), não é de chorar mas resmunga bastante. Sorridente, ama música e instrumentos musicais, não gosto de colos alheios e é muito carinhoso. No entanto gosta bem de brigar.

Esse é Gianlucca, nosso bambino.

Poderia colocar muitas outras características, mas aí ficaria enorme (hehe) e mãe boba vai escrever, escrever e nunca descrever completamente, não é mesmo?!

Nasceu em Março de 2011 de cesárea, por pura falta de paciência. Eu já estava com 39 semanas e não aguentava mais. GO ainda insistiu pra que eu aguardasse um pouco mais, mas não teve jeito. Eu estava decidida, fiz por minha opção.

Hoje eu faria diferente. E no segundinho será diferente. No entanto não sofro pela decisão que tomei.

Nasceu com 45 cm e 3kg. Pequenino, mas forte. Mamou no peito e muito (de hora em hora), já no segundo mês estava com 5 kg.

Andou com 16 meses. Não tenho recordação de quando começou a falar, mas hoje é um tagarela. e acho que fala muitooo bem. Com erros, mas sabe se expressar.

Conta a rotina da escola, se bateu ou se bateram. Quem chorou e porque. Se a professora foi ou faltou (heheh Pratícia, ele te denuncia).

Hoje com 2 anos e 10 meses. Louco pra cantar parabéns.


Má.

11 de jan de 2014

Continuando...

E na segunda-feira recebi minha visita, acompanha de fortes dores como há muito tempo eu não sentia.
Sempre tive muitas cólicas durante minha adolescência, tanto que sempre precisava ir ao hospital ser medicada.
Sempre me diziam que depois do baby isso melhoria, but....

Tá certo que fiquei muito tempo com a menstruação bloqueada, depois que bambino nasceu em Março 2011 eu só voltei  pra essa vida de lady agora em Agosto 2013, então não tinha padrão. Mas ao que tudo indica voltaremos pra essa vida, mas tudo bem. Afinal eu preciso continuar no ciclo pra poder uma hora encomendar o segundo barrigão.

Eu continuo esperando em Deus, confiando que uma hora chegará.

Keep calm and practice!

5 de jan de 2014

Sobre a (não) segunda gravidez

Quando decidi pelo nome do blog só um filhote fazia parte da família. E ainda é assim, ou não, já não sei.

Minha vontade de ampliar a família começou um pouco antes do bambino completar 2 anos, em Março de 2012. Mas muitas coisas impediam de isso acontecer.

Eu havia recém começado em um novo trabalho, marido estava em transição nos projetos e não estávamos preparados financeiramente para  mais uma escola, mais um plano de saúde, e por aí vai.

Eu usando Mirena, permaneci assim até Agosto de 2013, quando retirei e desde então estamos praticando sem pensar muito. Na verdade marido não pensa muito (mas assume os riscos heheh). Eu todo santo mês me pego pensando em como seria incrível ter o segundinho.

Bom, hoje estou com 12 dias de atraso e com 2 testes de farmácia negativos. Meu coração deseja profundamente, meu corpo me diz que sim (mas não sei se por reflexo da minha cabeça, ou porque é mesmo) e essa ansiedade está me fazendo mal.

Agora me resta aguardar um horário com o médico louco que venho frequentando, pois a GO humanista é só dia 21 (marcada há 3 meses atrás). Eu não vou administrar a ansiedade até lá, assim eu volto no loucão mesmo.

Quede con Dios!