24 de set de 2014

15 Dias sem Gritar

Aqui em casa eu sempre fui a mais paciente. Rodrigo tem um pavio mais curto, faz parte da personalidade dele. Pra tudo ele é assim.

Só que de uns tempos pra cá meu pavio também tem se encurtado. Bambino tem conseguido me tirar do sério. E olha, tem sido muito difícil.

As birras estão grandes, se joga no chão no meio da igreja e faz escândalo. Solta da nossa mão na rua e sai correndo, sobe onde pode realmente cair, joga as coisas no chão de proposito e por aí vai.

Eu no final da minha paciência, depois de falar 50 milhões de vezes que cai -machucada - atropela - tudo mais , uso do meu último recurso: o famigerado grito.

Mas não tenho orgulho disso. Me sinto muito mal depois, principalmente quando ele me diz que está com medo.

Me pego pensando, Cristo gritava com as pessoas?!? Eu mesma respondo: Não. E eu quero seguir me aperfeiçoado para ter uma vida próxima a Cristo.
Que raios estou eu ensinando ao meu filho?!?

Também me pego pensando que me faltam recursos para fazer que ele me escute, mas cabe a mim procurar saídas, não cabe a ele.

Sendo assim me propus o desafio de não gritar, sequer elevar meu tom  de voz com ele por 15 dias. E estamos indo bem.

Meu desejo é que esses dias me condicione a fazer  diferente sempre! E que eu não precise mais de metas, que se torne regra na minha vida.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu amo seu comentário, e amo responder seu comentário também!!
Por isso optei em moderar, apenas para não deixar nenhum sem resposta.