13 de mai de 2014

Momentos Dele

Muitas das fofurices eu coloco no face, mas o dia que eu resolver deletar minha conta vou perder tudo. Por isso vou deixar registrado aqui, para se um dia a memória esquecer, basta ler ;)

- Papai eu não sou bambino, sou Gianlucca.

- É só para crianças (ao querer exclusividade em alguma coisa).

- Nossa que bonitinho, é para o meu irmão (ao experimentar um tênis).

- Quem come cenoura fica bem pequenininho - mostrando o tamanho com os dedos (ao ser questionado porque não iria comer).

- Eu vou contar até três e se não brincar eu vou chutar o fogão. Um, dois, três e bummm - chutou o fogão (ao me desafiar pra largar a louça e ir brincar).

- Ahhh eu vou ficar triste (ao pedirmos pra esperar qualquer coisa)

- Presente pra mim? (ao ver alguém com sacola na mão).

O vocabulário vem crescendo e já tem falado sem dificuldade. Me desejou até feliz dia das mães :)))

O amor só faz crescer.


*todos os direitos da foto são reservados e não autorizo reprodução.

9 de mai de 2014

O fim da paciência

O ser mais paciente do mundo tem o fim da sua paciência. O limite que define entre a vida e morte daquele que está testando a paciência alheia.

Eu já sei onde as coisas apertam pra mim, sei exatamente quando eu vou explodir: sono. Eis meu calcanhar de Aquiles.

Claro que muitas outras coisas me aproximam da Maira ardida da infância, mas quando estou com sono, só o amor de Deus pai para me suportar.

Aí entra meu desafio: o sono do bambino. Porque vamos combinar que ele não é muito chegado no negócio como desabafei aqui.

Pega o lenço de papel para conter as lágrimas e vem comigo.

Eu sempre fui uma pessoa dorminhoca, sempre. Quando criança ao ir para a escola de manhã minha mãe me trocava dormindo. Pra ir pra praia a única coisa que achava chato era acordar de madrugada. Quando adolescente eu pagava pra dormir, que balada que nada eu queria era cama! Já casada o que apreciava mesmo eram as sonecas no meio da tarde aos finais de semana.

Por isso sofri demais com o sono durante a gestação pois acordava muito cedo e depois do almoço não tinha um mísero sofá no escritório pra dar uma encostadinha.

Pois bem que Deus me enviou  um garotinho que não aprecia o tema. E agora José? Agora rebola!

As coisas estão meio atribuladas. Mas serei justa, melhorou muito do que ele era.

Em Abril mudamos de escola para sanar alguns problemas, nível de felicidade do bambino aumentou consideravelmente, mas meus problemas noturnos? Esses só aumentaram no quesito Edredom.

Na nova escola não tem mais a soneca que era logo após o almoço,  ou seja ele pula praticamente o dia todo.
O horário da minha mãe mudou então bambino não saí mais da escola por volta das 16hs.

Assim é só colocar o rapaz na cadeirinha que ele despenca no sono. Os 50/60 minutos que ele dorme no finzinho da tarde revigora como se fossem 50/60 horas.

Aí a noite o bicho pega. E eu que estou cansada lá pelas 23 e tantas começo a surtar. Afinal as 5 da matina eu estou de pé de novo.

Logo eu que havia superado a fase de me acabar com esses períodos de secas noturnas estou novamente nessa sinuca se bico.

Apenas 5 dias de volta ao trabalho cá estou eu extremamente cansada. Ontem que dormi pouco mais de 4 horas não estava, hoje estou. Dizem que sono não é algo que se tira o atraso ou acúmulo eu realmente acredito que sim.

Já mudamos algumas estratégias, dia que marido tem MBA ou evento a noite ele vai pegar bambino mais cedo para a soneca e acordar antes das 18hs; tentar que ele não durma, mas sem sofrer afinal não quero sacrificar meu garoto. E aquilo que busco há mais de 2 anos: mudar de horário no trabalho ou de emprego né ;)

7 de mai de 2014

Férias

Passou muito rápido, mas quero deixar aqui registrado a primeira vez que bambino andou de avião, barco, colocou os pezinhos na areia e tomou um caldo da onda heheh.

Fomos para Ilha de Itaparica na Bahia do meu Deus. Fomos marido, bambino e eu em um vôo mais cedo e a noite meus pais.

Lição 1: Se for em grupo que todos possam ir juntos. Isso porque poderíamos ter garantido mais conforto e economia.

Para não pagar duas estadias do carro no estacionamento de guarulhos optamos por ir de ônibus. Por isso saímos quase 4 horas de antecedência. O vôo foi tranquilo e bambino se comportou muito bem.

Quando chegamos em Salvador ele já estava cansado, pudera pois já estávamos fora de casa 8 horas. Nem bem colocamos o pé no chão e ele pediu para ir pra casa.

Hora de ir para a travessia. O aluguel do carro não deu certo, fomos ver um taxi e era uma verdadeira fábula. Realmente me assustei.

Ainda na primeira lição, se estivéssemos todos juntos o taxi ficaria mais "macio" de pagar.

Nos restou o transporte publico, ótimo bem mais sustentável mas levamos 3 horas para fazer um trajeto de 35KM. OK, eu e marido estamos acostumados com essa rotina, mas bambino não. A sorte que ele dormiu e só acordou quando pegamos o Ferry Boat, mas pensa como ele transpirou!  Um calor absurdo mas sorria, você esta na Bahia.

Chegamos na ilha quase 23hs e só uma pizzaria estava aberta. Foi nosso jantar.

Na hora de dormir Gianlucca queria leite, mas não tinha. Foi sofrível ver ele pedindo insistentemente e não ter.

Lição 2: nas próximas viagens sempre levar um pouco de leite em pó. Na hora do aperto quebra um galho.

E meus pais? O vôo atrasou e quando chegaram não tinha mais nada. Optaram por esperar no aeroporto até o amanhecer.

Os dias que ficamos foi muito bom. Bambino, apesar da alergia que atacou, aproveitou muito. Foi lindo de ver a alegria dele entrando no mar, chorando até aprender que precisava fechar a boca na onda, e a brincar muito na areia.

No último dia choveu e aproveitamos só  pouco, mas valeu muito ficar no flat e tirar um cochilo. Como disse no instagram (@masonegorodrigues), é a arte de desacelerar.

Na volta até o aeroporto fomos todos juntos. No Ferry o mar estava muito agitado e Gianlucca reclamou muito de dor na barriga, achei que iria colocar os bofes pra fora, mas dormiu.

A volta foi mais cansativa. Parecia que nunca chegava. No final deu tudo certo e aproveitei esses poucos 10 dias de maneira louca. Voltei revigorada mas querendo mais.