21 de ago de 2015

Sensibilidade Seletiva

Eu sou uma pessoa que procura sempre respeitar a opinião dos outros, por mais que a opinião é diferente da minha. Isso porque sigo alguns princípios, dentre os quais: fazer aos outros aquilo que eu quero que faça pra mim e que as pessoas partem de contexto de vida diferentes. Esse ultimo aprendi mais profundamente na faculdade, com a melhor professora de sociologia que eu poderia ter.

Com isso em mãos eu não deixo de posicionar sempre que posso. Mas respeitando as regras de convivência, sempre.

Eu tive que me ausentar do face por uns tempos, devido a discussão da redução da maioridade penal, que eu sou absolutamente contra por motivos da minha crença, da minha fé, de princípios históricos e psicológicos. Não vou entrar no mérito de cada um, pois o post não é sobre isso. Eu fiquei afastada do face por razões de intensidade. Ler muitas coisas estava me fazendo muito mal, a gravidez deixa minha habitual intensidade acirrada.

Aí que algo aconteceu essa semana, e eu tive que vir aqui fazer minha terapia, afinal tudo tem ligação.

Eu trabalho bem pertinho da Av Paulista, mas pouco vou até ela (exceto pelo meu caminho obrigatório no começo e no fim do dia). É um lugar muito cheio de gente, e eu não sou dada a muvucas.

Pois bem que estava eu terminando de atravessar a avenida no horário do almoço (precisava ir ao banco que só tem lá) e bem em frente tinha uma banca de jornal. Ao lado da banca havia um morador de rua dormindo abraçado com seu cachorro. Bem abraçado mesmo. E os dois dormiam placidamente. Então me vem um cara todo engravatado, tira o celular do bolso do paletó e começa a tirar fotos.

Tive um reverterio. Um misto de revolta com estômago enjoado, sabe?!? Até minha pressão desejou dar uma caidinha.

Aí você pode me perguntar, que raio de problema tem a pessoa tirar foto de um momento tão amável entre um homem e seu cachorrinho?

O problema está na sensibilidade seletiva. Teria esse executivo olhado para o lado se esse morador de rua estivesse sozinho? Quantos e quantos temos na rua que sequer são vistos? Eles normalmente são reparados quando nos incomodam, ao pedir uma ajuda no semáforo. Eles são percebidos quando causam incômodo, não pela sua situação de vida.

Será esse morador de rua mais humano e digno de atenção somente pelo apego ao seu bichinho? A sensibilidade daquele homem que fotografou foi completamente seletiva.

A sensibilidade da população em geral é contra aquilo que a ataca, única e exclusivamente. Contra aquilo que acredita.

Eu mesma sofro demais ao ver pedintes na rua com crianças.  Eu sofreria menos ao ignorar, mas não consigo.

Escutei hoje de alguém que veio ao mundo pra mudar e seguir seu caminho, não para mudar o mundo. Acredito mesmo que a mudança começa em nós, no entanto discordo absolutamente que não podemos mudar o mundo. O que seria de nós se os apóstolos de Cristo pensassem assim, eu jamais seria tocada por aquilo que mudou minha vida: o amor de Cristo.

Meu mundo é aquilo que vivo diariamente. Os lugares que eu frequento, as pessoas que convívio, meus filhos que absorvem exatamente o que eu e marido somos. Mas não posso deixar de lutar pelo outro, aquele que por inúmeras razões não tiveram a mesma estrutura familiar que eu, o mesmo compromisso e a mesmas oportunidades.

Que a sensibilidade nunca nos deixe e que a seletividade nunca nos acometa.

6 comentários:

  1. Eita mulher pimentinha !!! Eu respeito e muito a opinião dos outros até porque a minha muitas vezes é contrária kkkk mas nem sempre me posiciono, nem eu mesma sei porque ... fico só discutindo mentalmente kkkkk. Hoje em dia as pessoas estão menos sensíveis, ou como você mesma disse com a sensibilidade muito seletiva, como é o caso deste homem, que acredito eu, não vou foi sensibilizado com a situação e sim querendo ganhar curtidas no face com uma imagem e frases bonitas.

    ------------------------------------------------------- ♡
    Blog
    Insta @decidisermaeblog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pimentinha hahahahhah. Eu as vezes tenho pouco daquela criança ardida que eu era hahahha.
      Mika você é mais sabia do que eu, pois eu fico sofrendo quando os argumentos são rasos, tipo "tá com dó leva pra sua casa". Já uma troca de argumentos profundos não ofende e enriquece muito.
      Uma pena que as coisas estejam caminhando assim. Bjs!!

      Excluir
  2. Vdd...e esse executivo talvez tenha enxergado somente o cachorro...
    Sabe eu super a favor de cuidar dos animais...mas hj em dia vejo as pessoas valorizando apenas os bichos e deixando de lado o ser humano....e os dois sao importantes,ne
    bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está bem complicado Nise. Mundo está muito individualista.
      Somos todos importantes, Cristo se sacrificou por todos nós!!

      Bjs!

      Excluir
  3. Por isso que te achei no face mas você ainda não me aceitou :(

    Penso como a Mika, eu acho que ele fez mas pra ganhar curtidas no face do que por se sensibilizar com o que viu...

    Bjos!!!
    Ly
    http://nossosdiasnossaespera.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ly que bom que me achou!! Feliz feliz!!
      Eu também acho que foi. Lamentável chegar a isso.

      bjs!

      Excluir

Eu amo seu comentário, e amo responder seu comentário também!!
Por isso optei em moderar, apenas para não deixar nenhum sem resposta.