3 de ago de 2014

Sobre Fralda de Pano com Devaneios acerca do futuro

Agosto é um mês muito especial pra mim.

Foi no dia 03/08/10 que descobri que estava grávida do bambino. No dia 03/08/11 voltei a menstruar. No dia 02/08/13 retirei o DIU  e ainda em Agosto é aniversário do meu pai.

Um mês bem representativo! Não preciso de ajuda do calendário para lembrar de cada data, até porque são bem próximas e marcantes.

Faz um ano que tirei meu DIU e durante longos 8 meses tentamos encomendar o segundinho(a), mas com alguns momentos de dúvidas se realmente era o certo a se fazer. Percebe que os dois posts que linkei são do mesmo mês? Inconstância emocional define.

Até que em Abril decidimos que iriamos esperar mesmo e o meu coração sossegou um pouco, ao ponto de discutir um filho único.

E onde entram as fraldas de pano afinal? Entram no que eu chamo de apego emocional. Explico-me.

Eu sempre fui uma mãe desapegada, mesmo. Das coisas de Gianlucca quando pequeno eu tenho somente um macacão RN lindo demais e um sapatinho que minha tia nos deu. Ah, tenho também o bebê conforto. O restante eu doei absolutamente tudo. E ia doando conforme não servia mais, não fiquei guardando nada.
Das pessoas que eu conheço, acho que sou a única a fazer isso. Todo mundo guarda e reaproveita no próximo. Eu não tenho esse apego. Se tem gente precisando eu dou mesmo.

Mas as fraldas de pano, eu não consigo. Chega a me doer o coração pensar em me desfazer delas. Não consigo nem emprestar (egocentrismo vemos por aqui).
E não foi por falta de oportunidade não. Eu indico fralda de pano para absolutamente todo mundo! Amo demais. Mas me desfazer das fraldas me soa um pouco "abrir mão" dessa segunda gestação.

No entanto o futuro do humanidade aqui de casa ainda está sem definição. Marido pretende sim ter mais um, pelo menos. Eu ainda não tenho certeza.

A verdade é que onde eu coloco mais um filho nessa rotina louca que vivo? Eu fico na verdade meio puta com essa sociedade consumista e louca. Trabalhar, educar, estudar, ser dona de casa, esposa e ainda ser eu mesma. E olha que meu marido é de extrema participação! Não sei que seria de mim sem você, babe. E essas super mulheres que criam sozinhas seus rebentos? A elas todo o meu respeito.

Das 24 horas do dia, 14 eu não estou em casa. Me sobram 10 para amar e educar meu filho, amar meu marido, me amar e ops, pera aí, comer e dormir né?! Mas precisa mesmo dormir?!

Meu relacionamento com Deus é feito em transito. No meu tempo de deslocamento de casa para o trabalho e vice-versa. E no decorrer do dia.

Agora o quão justo é com o meu filho dividir o pouco de atenção que tem da mãe com outra criança, que demandará atenção demais? O quão justo com o outro filho será ter uma rotina tão apertada e louca como Gianlucca teve e tem?
O quão justo é comigo gestar em transito mais uma vez? E a gravidez de paz que todo mulher merece ter?
Crescer sem irmãos nunca foi, na verdade, uma opção pra mim. E meu sonho de adotar?
E a minha carreira, que também me faz muito feliz? Esse vale um post a parte de tudo.

São muitas dúvidas.

Escolhas precisam ser feitas a todo momento. Umas impactam mais do que outras, mas as consequências das ações invariavelmente chegarão. E como família que somos, o impacto é sentido por todos.

Talvez o post pareça um pouco mais dramático do que ele realmente é, não é essa intenção. O momento na verdade é ainda de reflexão, e eu tenho sim vontade de começar tudo de novo e ao mesmo tempo me canso só de pensar um barrigão dentro de um fretado (vou de fretado trabalhar).

Por hora, digo ao povo que as fraldas ficam. #Deusnocomando.

Belezuras!!
*todos os direitos da foto são reservados e não autorizo reprodução.




2 comentários:

  1. Maira querida, eu acredito que terei o mesmo desapego com as "coisas" do bebê que vc... assim que não estiverem mais servindo com certeza pretendo doá-las para um outro bebezinho e quando for buscar os irmãozinhos dele lá na clínica novamente farei um novo enxoval com maior prazer e sem nenhuma remorso. Eu realmente sinto que seu segundinho faz parte dos planos de Deus!!! Ele fará teu coração arder de desejo por esse filho e te dará a segurança necessária para tentar novamente quando for o momento certo. Bjos!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lyanna. Temos um longo caminho a percorrer, mas Deus sabe de todas as coisas. O importante é que hoje não sofro mais, como era antes.
      É experimenta as fraldas de pano, elas são ótimas!! Bjs

      Excluir

Eu amo seu comentário, e amo responder seu comentário também!!
Por isso optei em moderar, apenas para não deixar nenhum sem resposta.