25 de mar de 2014

Blogterapia

Senta que lá vem o desabafo.

Eu ainda fazia pós graduação quando engradivei do bambino.

Já grávida em uma aula de gestão de carreira precisávamos escrever sobre nosso momento atual e futuro. Ao encontrar essa cartinha pra mim mesma vi que mesmo sem me lembrar do que tinha escrito aquelas diretrizes ainda me guiam.

Ali escrevi o quanto tinha consciência que a maternidade me mudaria, mas passado mais de 3 anos do bilhete hoje tenho certeza que eu não podia imaginar o quanto, e finalmente que optaria a continuar trabalhando.

Afinal para que eu trabalho? Trabalho por mim, pois esse crescimento e amadurecimento como profissional me torna uma pessoa feliz e isso reflete na Maira mãe. Claro que eu pensei inúmeras vezes em ser mãe em tempo integral e em como seria incrível poder participar ativamente do dia do meu filho. Mas me faltam habilidades. Eu não conseguiria entrete-lo o tempo todo e inevitavelmente ele acabaria na TV. Entende?! Eu também amo trabalhar.

Não amo menos por isso e não sou meia mãe por isso. Gianlucca tem o meu melhor. E amo dizer toda sexta feira: thanks God, today is friday.

Afinal onde quero chegar? No meu momento hoje.

Estou negociando uma promoção há 3 meses que ainda não saiu por puro capricho alheio. Estou em uma estrutura que além de ser enxuta, não tem a gestão que eu acredito mas que penso muitas vezes pra mudar pois quero meu segundinho.

Entende que ao mudar eu terei que esperar muito mais tempo? Mas pra que a pressa?!? Eu não sei. Juro que não sei.

Marido já me pediu 2 anos e eu concordei. No entanto estamos sem prevenção desde Agosto/13 e quero muito. Pra me incentivar ainda mais achei uma GO humanista.

Só que quando escuto algumas coisas tenho vontade de parar tudo e ligar para todos os RHs que conheço. Tá valendo a pena? Complexo.

Muito complexo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu amo seu comentário, e amo responder seu comentário também!!
Por isso optei em moderar, apenas para não deixar nenhum sem resposta.